O porquê os Steelers são uma das maiores incógnitas da NFL em 2021

Mike Tomlin precisará fazer mais um grande trabalho para manter a franquia como contender

O Pittsburgh Steelers pretende aproveitar os últimos anos de Ben Roethlisberger para tentar conquistar o sétimo Super Bowl da franquia. Mas, entre planejar e ser capaz, existe um grande abismo, e podemos prever temporadas bem distintas. Se a defesa repetir o desempenho, mesmo com algumas perdas, e o jogo corrido voltar a funcionar, os Steelers podem repetir a dose e levar a AFC Norte.

Agora, se a linha ofensiva completamente remodelada não der conta do recado e Big Ben seguir na descendência, podemos ver Pittsburgh terminando em último na divisão e Mike Tomlin tendo sua primeira temporada negativa em catorze anos pela franquia. Todo ano temos equipes novas nos playoffs, e os Steelers parecem bem capazes de abrir espaço para outros times após esta offseason.

Arte: André Martins.

A parte do elenco que melhor representa esta grande incógnita é a linha ofensiva. Em 2020 a equipe ficou em último em jardas por corrida e jardas ajustadas pela linha, mas, ao mesmo tempo, foi a que menos cedeu sacks. Agora, a linha terá três novos titulares, com apenas o right guard David DeCastro e o right tackle Zach Banner remanescentes.

Alejandro Villanueva foi para os rivais de Baltimore, Maurkice Pouncey se aposentou e Matt Feiler foi para os Chargers. Apenas dois jogadores dessa provável nova linha ofensiva tiveram pelo menos 340 snaps na última temporada. O desempenho de Chukwuma Okorafor como LT será essencial para o desempenho desse ataque, além do rookie Kendrick Green, escolha de terceira rodada deste ano, que irá fazer a transição de guard para center.

A importância desse grupo cresce ainda mais por conta de quem eles são responsáveis por proteger. Aos 39 anos, a pouca mobilidade que ainda residia em Big Ben evaporou. Não só isso, como ele teve sua pior nota pela PFF desde 2006, com 69,0

Ao mesmo tempo em que teve o pior jogo corrido da liga, o quarterback também teve a melhor proteção de passe, e já é difícil considerá-lo entre os principais jogadores da posição na NFL. Tom Brady nos relembra, semana a semana, que idade não é documento, mas Roethlisberger dá sinais de declínio. 

O desempenho da linha ofensiva também será importante para extrair o máximo possível da escolha da primeira rodada de 2021. Draftar Najee Harris foi uma aquisição importante para o que parecia ser o pior corpo de running backs da NFL. Mas se o prospecto de Alabama não tiver espaço para usar sua explosão, será uma escolha em vão.

O ataque é a principal preocupação pela queda de rendimento ao final da última temporada, mas a defesa perdeu pelo menos três peças importantes. A principal é o OLB Bud Dupree, que terminou a temporada passada com oito sacks em 11 partidas e foi para os Titans na Free Agency. 

Na secundária, Pittsburgh perdeu dois de seus cornerbacks titulares com as saídas de Steven Nelson (que ainda segue como Free Agent) e Mike Hilton (outro que saiu para reforçar um rival, dessa vez os Bengals). A expectativa cresce sobre Cameron Sutton, o único dos três CBs a renovar com a equipe, justamente por ter tido o melhor desempenho. Sutton, Joe Haden e Minkah Fitzpatrick ainda formam um excelente trio, mas o corpo de defensive backs dos Steelers tem menos peças.

Esperava-se que no Draft a secundária receberia mais atenção, mas o GM Kevin Colbert optou por pegar apenas o DB Tre Norwood no final da sétima rodada. Podemos também contestar a escolha de Pat Freiermuth na segunda rodada, que não era uma necessidade. No geral, a impressão que fica é que a equipe de Mike Tomlin sai mais fragilizada após a offseason.

O que complica a situação é o fato de os Steelers terem o calendário mais difícil de toda a NFL em 2021, além de dois fortes concorrentes dentro de sua divisão. Na próxima temporada, Pittsburgh enfrenta 10 equipes de playoffs, sendo três deles finalistas de conferência (Bills, Chiefs e Packers).

A volta dos torcedores e das “Terrible Towels” pode ser importante, mas a verdade é que Mike Tomlin tem pela frente um dos anos mais desafiadores de sua brilhante carreira. Dependendo de como as coisas ocorrerem, essa equipe pode ser capaz de brigar pelo Vince Lombardi, ou terminar com uma escolha top-10 no draft de 2022.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s