1º Mock Draft de 2021: Panthers sobem para garantir Justin Fields, Lions descem e Dolphins garantem peças para Tagovailoa

Trevor Lawrence é a primeira escolha geral e New York Giants encontra o seu wide receiver

(Arte: André Martins)

1. Jacksonville Jaguars – Trevor Lawrence, QB, Clemson

Trevor Lawrence é o melhor prospecto do Draft (para a surpresa de absolutamente ninguém). Como freshman em 2018, ele liderou Clemson ao título do College Football e evoluiu em todas as temporadas, registrando no mínimo mais de 90 na nota do PFF em todos os anos. Em três temporadas, foram 10,098 jardas, 90 touchdowns e 17 interceptações, acertando 66,6% dos passes. Não existe o prospecto perfeito em nenhuma posição, mas Lawrence é o mais próximo disso, sendo capaz de executar tudo que um ataque da NFL exige. Urban Meyer precisa de um novo QB e tem a oportunidade de escolher o melhor prospecto da década. 

2. New York Jets – Zach Wilson, QB, BYU

Os Jets ainda não confirmaram o seu compromisso com Sam Darnold e sigo acreditando que Robert Saleh irá precisar de um novo quarterback. Zach Wilson tem as características que um analista da NFL procura em um QB. Ainda acredito que Fields é o QB com mais potencial, só que Wilson teve um 2020 absurdo e explodiu nas projeções. O QB é capaz de colocar a bola no lugar perfeito para o recebedor. Ao todo, foram 3,692 jardas em 2020, acertando 73,5% dos passes para uma média de 11 jardas por tentativa, 33 TDs e 3 interceptações.

3. Miami Dolphins – Penei Sewell, OT, Oregon

Tirando os quarterbacks, Penei Sewell é o melhor prospecto disponível do Draft, deixando ele como uma escolha semelhante ao que foi Chase Young (DE) em 2020 e Nick Bosa (DE) em 2019. Tackle é uma posição de extremo valor na NFL e Sewell é um prospecto melhor do que todos os outros tackles escolhidos em 2020. Sewell optou por não jogar na última temporada, mas registrou números sensacionais em 2019, como a melhor nota da PFF na posição, mesmo sendo um segundanista. Além disso, adicionou 58 knockouts em jogadas, o que foi a melhor marca do College Football. 

Vale lembrar, em 2020, segundo dados da Next Gen, Ryan Fitzpatrick soltou a bola em 2,3 segundos depois do snap (2º QB mais rápido da NFL). Quando Tua Tagovailoa assumiu, ele soltou a bola em 2,58 segundos (6º mais rápido), mesmo assim foi considerado que ele demorava para se livrar da bola. É preciso dar mais tempo e mais talento para Tua, e Sewell terá um impacto imediato.

4. Carolina Panthers (via Falcons)  – Justin Fields, QB, Ohio State

A primeira troca do Mock Draft é essa: os Panthers sobem para a quarta posição geral e, em troca, enviam a 8ª escolha geral, a 39ª escolha geral e uma futura segunda rodada em 2022. Atlanta poderia escolher um QB, mas Matt Ryan segue em altíssimo nível e não acredito que vão abandoná-lo no momento. Juntar escolhas de segunda rodada faria muito sentido para a franquia. Os Panthers, por outro lado, estão desesperados por um quarterback e precisam subir no Draft para garantir o seu futuro. Vamos combinar, Teddy Bridgewater não te levará ao Super Bowl!

Justin Fields poderia ser uma primeira escolha geral em outros Drafts. A sua precisão é um diferencial para sua adaptação na NFL. Em 2020, ele acertou 70,6% dos passes, jogando para 2,100 jardas, 22 TDs e 6 interceptações em 8 jogos. Ele ainda adicionou 383 jardas e cinco TDs terrestres, sendo capaz de estender as jogadas com a sua perna. Este passe na semifinal do College Football contra Clemson foi demais e prova que ele tem um braço muito potente.  

(Justin Fields lança para 6 TDs contra Clemson no Sugar Bowl)

5. Cincinnati Bengals –  Rashawn Slater, OT, Northwestern

Os Bengals precisam urgentemente melhorar a linha ofensiva e a lesão de Joe Burrow provou isso. Em 2020, a franquia sofreu 48 sacks (1º na NFL) e a terceira pior marca de vitórias na proteção de passe (50%). Rashawn Slater optou por não jogar a última temporada do College Football, mas demonstrou muito talento em 2019, permitindo apenas 6 pressões e nenhum sack. 

O jogador ainda teve atuações maravilhosas contra EDGEs que foram para a NFL, entre eles Chase Young, sendo que o atual Defensive Rookie of the Year não teve muito sucesso. Slater jogou de right tackle nas duas primeiras temporadas e mudou para left tackle no seu último ano em Northwestern. A versatilidade é um ponto a favor, sendo que ele é capaz de ter impacto imediato como tackle ou no interior da linha.

6. Philadelphia Eagles – Ja’mar Chase, WR, LSU

Entra ano e sai ano e seguimos falando do péssimo corpo de recebedores do Philadelphia Eagles. Com a sexta escolha geral, a franquia terá a oportunidade de escolher o melhor recebedor da classe. Mesmo com a gigantesca ascensão de Devonta Smith, imagino que Ja’mar Chase será o primeiro wide receiver escolhido. Chase optou por não jogar em 2020, mas o seu 2019 deve carregá-lo para o top 10, quando venceu o Fred Biletnikoff, prêmio de melhor recebedor do college, e o título CFB com Joe Burrow em LSU. Ao todo, o sophomore registrou 1,780 jardas, 84 recepções e 20 touchdowns, superando seu antigo companheiro de time, Justin Jefferson (que brilhou na NFL em 2020 com o Minnesota Vikings). 

7. Denver Broncos (via Lions)  –  Trey Lance, QB, North Dakota State

O Denver Broncos sobe no Draft, enviando uma futura segunda rodada (2022) e a 9ª geral, e escolheria Trey Lance. Drew Lock não mostrou o potencial necessário em duas temporadas e os Broncos precisam buscar uma outra solução. Lance tem tudo que o GM John Elway gosta: um canhão no braço e um poder atlético descomunal. 

Trey Lance é o prospecto mais intrigante do Draft. Com apenas um jogo em 2020 por North Dakota State, times irão se basear por sua performance em 2019, que foi magistral. Ao todo, o QB registrou 2876 jardas aéreas, 28 TDs e nenhuma interceptação. Com o braço mais forte da classe e o físico mais atlético da posição (também correu 1,100 jardas e 14 TDs), Lance pode se tornar uma arma impossível de ser defendida. Ainda assim, são muitos questionamentos que o circulam. Trey nunca enfrentou grandes adversários em North Dakota State, faculdade que está na Division II do College. O ratio de 42 TDs e zero interceptações segue impressionante, mas a aposta é de alto risco, ainda mais para um QB que jogou apenas uma vez em 2020.

8. Atlanta Falcons (via Panthers)  –  Kyle Pitts, TE, Florida 

Após descer no Draft, Atlanta garante mais uma arma no jogo aéreo para Matt Ryan. Kyle Pitts é um dos melhores prospectos de tight end da última década. O jogador de 1,98m demonstra uma mistura de velocidade e tamanho que são diferenciais para que ele consiga executar todas as rotas e ganhar da marcação de cornerbacks ou linebackers no um contra um. Sendo razoável nos bloqueios, o junior foi o melhor jogador do College Football em 2020 na nota da PFF (96,1). Em 8 jogos na Florida, ele registrou 43 recepções para 770 jardas e 12 TDs. 

9. Detroit Lions (via Broncos)  – Micah Parsons, LB, Penn State

O Detroit Lions tem muitos problemas e precisa resolver quem será o quarterback do futuro. Ainda assim, sem um dos top 3 QBs de 2021 disponíveis na 7ª, a troca para baixo faria muito sentido porque é necessário resolver os furos do elenco. Com a 9ª geral, a defesa é a prioridade e permitiu a maior marca de pontos na última temporada (32,9). Micah Parsons não atuou em 2020, mas como segundanista em Penn State ele impressionou, misturando velocidade, tamanho e agressividade nos tackles. Ao todo, foram 109 tackles, sendo 14 para perdas de jardas e 5 sacks. Ele precisa melhorar sua leitura, mas tem apenas 21 anos e o potencial é gigantesco – um canivete suiço capaz de jogar como outside ou inside linebacker.

10. Dallas Cowboys – Patrick Surtain III, CB, Alabama

A secundária dos Dallas Cowboys mostrou ser muito problemática em 2020. A chegada de Trevon Diggs, escolha de segunda rodada no Draft, ajudou, mas não foi capaz de impedir a marca de 34 TDs aéreos  – a pior marca da NFL. Patrick Surtain III teve uma temporada excelente, obtendo uma nota de 88,9 na PFF. Sendo muito atlético, com ótima envergadura e com um senso de cobertura. Surtain se adaptará na NFL e pode ser uma solução a longo prazo na secundária dos Cowboys.

11. New York Giants – DeVonta Smith, WR, Alabama

New York tem 99 problemas e pode optar por pegar o melhor prospecto disponível. Em 2020, a defesa mostrou um nível de Playoff, mas o ataque foi o 2º pior da NFL, à frente apenas dos Jets. A franquia ainda precisa decidir se Daniel Jones é o futuro, mas para isso precisa dar peças ao QB, que nunca teve Saquon Barkley saudável, uma linha boa ou um bom corpo de recebedores. DeVonta Smith é um dos grandes steals deste mock. O recebedor venceu o Heisman, prêmio de melhor jogador do College Football, e liderou Alabama ao título da CFB. Ao todo, foram 117 recepções, 1,856 jardas e 23 TDs em 2020. 

(Devonta Smith foi o primeiro recebedor desde 1991)

12. San Francisco 49ers – Caleb Farley, CB, Virginia Tech

Os 49ers têm uma excelente base, mas apenas um defensive back segue no elenco: o safety Jimmy Ward. A situação de Jimmy G é problemática, mas não sobraram grandes opções na 12ª escolha e não imagino San Francisco indo de Mac Jones. Caleb Farley é o prospecto com o melhor físico da posição e joga com uma intensidade que deve ajudá-lo na NFL. Farley optou por não jogar em 2020, mas em 2019 teve uma temporada absurda pelos Huskies – os QBs adversários registraram um QB rating de 26,1 quando lançando em um jogador marcado pelo corner.

13. Los Angeles Chargers – Christian Darrisaw, OT, Virginia Tech

Os Chargers acharam o seu QB em 2020 e precisam protegê-lo melhor na próxima temporada. A linha ofensiva de Los Angeles terminou como mediana em contenção de sacks (34), mas permitiu a oitava maior marca de pressão na NFL (33,3%). Christian Darrisaw foi titular pelos Huskies como um freshman e demonstrou um nível impressionante em seus 33 jogos. O atleta é muito forte na proteção de passe e se destaca nos bloqueios terrestres, registrando uma nota da PFF de 94,7 bloqueando para o jogo corrido

14. Minnesota Vikings – Kwity Paye, EDGE/DL, Michigan

Minnesota começou a temporada passada com um excelente corpo de pass rush, com Danielle Hunter e Yannick Ngakoue. O último foi trocado para os Ravens, enquanto Hunter teve uma lesão no pescoço e reportagens revelam que o jogador espera um novo contrato – o que pode criar problemas no relacionamento. Kwity Paye é o melhor pass rusher da classe, com a combinação de 1,93 com a sua velocidade. Os seus números não são um grande destaque, mas o alto potencial pode fazer a diferença. Em 4 jogos em 2020, ele teve 2 sacks e 4 tackles para perda de jardas, mas Paye não está próximo de todo o seu potencial. 

15. Miami Dolphins (via Patriots) – Jaylen Waddle, WR, Alabama

Neste cenário, vendo Jaylen Waddle cair no Draft e com necessidade de recebedores, o Miami Dolphins subiria para a 15ª geral, enviando aos Patriots a 18ª e a escolha de terceira rodada de 2021 (82ª). 

Jaylen Waddle consegue fornecer uma mistura de velocidade e vitórias contra marcações individuais que ajudarão de imediato Tua Tagovailoa e Miami. Em 2020, os recebedores dos Dolphins registraram a terceira pior marca de jardas após a recepção (3,18) e a inabilidade de separação (pior dentre todos da NFL) fez com que os passes de Tua viajassem em média um total de 6,2 jardas – 35ª marca entre 35 QBs. Em sua carreira em Alabama, Waddle recebeu 48 passes de Tagovailoa, então o reencontro pode dar frutos na NFL. 

16. Arizona Cardinals – Christhian Barmore, DL, Alabama

Christian Barmore foi um dos grandes destaques no final da temporada do College Football, registrando seis sacks nos últimos seis jogos. Barmore é grande, forte e tem uma envergadura que permite que ele vença no interior. Os Cardinals registraram a quarta maior marca de sacks em 2020 (48), mas 11,5 vieram do Edge Haason Reedick, que está na Free Agency. Baremore não é um edge rusher, mas sua força no interior da linha irá ajudar muito os Cardinals na próxima temporada. Ao todo, em 10 jogos, o defensive tackle registrou 8 sacks e 9,5 tackles para perda de jardas. 

17.  Las Vegas Raiders – Gregory Rousseau, EDGE, Miami

A defesa dos Raiders segue fraca e, apesar de uma secundária ruim, a linha defensiva segue sem capacidade de pressionar os adversários. Rousseau é um monstro, sendo extremamente veloz e forte, utilizando os 2,01 metros e 120 quilos para mover a linha ofensiva adversária. Em 2019, ele registrou a segunda maior marca de sacks (15,5 – atrás apenas de Chase Young) e adicionou 54 tackles, sendo que 19,5 foram para perda de jardas. Ainda assim, Rousseau é muito novo na posição e um talento bruto. Será necessário tempo para ele se desenvolver, mas se cumprir todo o seu potencial será difícil contê-lo. 

18. New England Patriots (via Dolphins) – Jeremiah Owusu-Karamoah, LB, Notre Dame

Owusu-Karamoah é um motor incansável, com um físico adaptado à NFL e uma velocidade impressionante para a posição de linebacker. O jogador é baixo para a posição, com apenas 1,85m, mas tem talento de sobra para ter sucesso na NFL. Em 2020, Jeremiah foi um dos destaques da campanha de Notre Dame, registrando 62 tackles, sendo 11 para perda de jardas e 1,5 sacks, números menores que em 2019, quando teve 13,5 tackles para perda de jardas e 5,5 sacks. Os Patriots precisam melhorar o talento no front seven e Owusu-Karamoah teria um impacto imediato. 

19. Washington Football Team – Mac Jones, QB, Alabama

Alex Smith voltou e foi sensacional. Taylor Heinicke teve um jogo fantástico no Wildcard contra Tampa Bay, mas nenhum dos dois são opções para o futuro de Washington. Mac Jones não tem o upside dos outros prospectos da posição e não conta com o poder atlético dos outros quatro já escolhidos ou um braço capaz de distribuir bombas pelo campo. Ainda assim, o atleta mostrou uma precisão absurda em passes de mais de 15 jardas. Na campanha que deu o título a universidade de Alabama, o junior acertou 77,4% dos passes, registrando 4.500 jardas, 44 TDs e apenas 4 interceptações. 

20. Chicago Bears – Teven Jenkins, OT, Oklahoma State

Matt Nagy adora misturar um ataque de jogo corrido com ação de play-action para deixar as defesas confusas. Teven Jenkins seria uma escolha inteligente para esse ataque, sendo que o jogador usa os seus 2 metros e 145 quilos para mover os adversários com um poder inimaginável. O jogador tem um motor impressionante para o seu físico e uma grande versatilidade, mas não é o jogador mais atlético da classe de offensive lineman. Chicago precisa de mais proteção e Jenkins oferecerá isso no lado direito da linha. 

21. Indianapolis Colts – Kadarius Toney, WR, Florida

Os Colts precisam trocar por um QB se quiserem competir e chegar ao Super Bowl, já que têm jogo corrido e defesa para isso. Caso a troca aconteça, Indianapolis precisa de recebedores melhores, após TY Hilton ter uma queda de rendimento. Kadarius Toney é um dos jogadores mais intrigantes da posição, sendo feroz em rotas mais complexas, com cortes magníficos para ganhar da marcação no um contra um. Ainda assim, em rotas mais simples, como curl ou hitch, ele apresenta problemas. Em 2020, ele registrou 70 recepções para 984 jardas e 10 TDs.

22. Tennessee Titans – Jaelean Phillips, EDGE, Miami

Os Titans não foram capazes de pressionar o QB adversário em 2020, o que custou uma eliminação no Wildcard, mesmo tendo um dos melhores ataques da NFL. Edge não é só uma necessidade, é a prioridade. Phillips é um dos melhores pass rushers da classe, sendo extremamente atlético e veloz. Com um upside maior do que o restante, misturando 1,93m com 122 quilos e uma velocidade assustadora. Em 2020, ele registrou 8,5 sacks e 15,5 tackles para perda de jardas em 10 jogos por Miami. 

23. New York Jets – Azeez Ojulari, EDGE, Georgia

Os Jets já escolheram o seu QB neste mock, então está na hora de resolver o segundo grande problema: o pass rush. Diferentemente dos outros edges da classe, Azeez Ojulari não tem um físico absurdo que o carregará para o sucesso na NFL. Sua velocidade, força e 1,91 metros não formam uma combinação assustadora. Ainda assim, Ojulari é um dos maiores talentos de pass-rush na classe, usando um motor incansável e uma boa aceleração para chegar ao QB. Em 2020, foram 8,5 sacks e 11,5 tackles para perda de jardas por Georgia. 

24. Pittsburgh Steelers – Alijah Vera-Tucker, OL, USC

A linha ofensiva dos Steelers teve um ótimo desempenho em 2020, mas o center Maurkice Pouncey anunciou a sua aposentadoria. É necessário focar na posição no Draft para não ter uma queda de rendimento, ainda mais quando Big Ben depende de um bom desempenho da linha. Alijah Vera-Tucker tem uma ótima movimentação de pés e boa técnica entrando na NFL. O jogador é extremamente versátil, sendo capaz de atuar como um tackle ou no interior da linha. O impacto será imediato e os Steelers precisam disso. 

25.  Jacksonville Jaguars – Jayce Horn, CB, South Carolina

Após trocar Jalen Ramsey e A.J Bouye e draftar C.J Henderson como reposição, os Jaguars seguem com uma secundária abismal. Jaycee Horn seria o sonho de consumo de Jacksonville. Em 2020, ele permitiu apenas oito recepções, número parecido a sua combinação de passes defendidos + interceptações (7). Horn tem velocidade e talento, sendo o cornerback com o estilo de jogo mais agressivo. Ele tem algumas das melhores marcas da classe, como 27,4 snaps por recepção permitida, sendo que as oito recepções vieram em 24 targets, e só deram em 116 jardas.

26. Cleveland Browns – Zaven Collins, LB, Tulsa

Após uma temporada maravilhosa dos Browns, uma posição deixou muito a desejar: o corpo de linebackers. Zaven Collins, de Tulsa, seria um encaixe essencial para que a defesa de Cleveland alcance um novo nível. O jogador tem uma aceleração fora do comum e uma versatilidade que o permite alinhar como inside linebacker e outside linebacker. O seu estilo de jogo permitiria que os Browns fossem mais eficientes em jogadas de Blitz. Em 2020, Collins explodiu. Foram 53 tackles, sendo 11,5 para perda de jardas e mais 4 sacks.

27. Baltimore Ravens – Wyatt Davis, OL, Ohio State

O Baltimore Ravens teve uma tremenda queda no desempenho da linha ofensiva em 2020, o que está associado em grande parte a aposentadoria de Marshal Yanda e a lesão de Ronnie Stanley. Para pedir o máximo desempenho de Lamar Jackson é necessário garantir a saúde e dar mais recebedores para ele. Na primeira rodada faz mais sentido garantir proteção no interior da linha. Wyatt Davis é muito forte, usando 1,93 metros e 143 quilos para movimentar a linha adversária e garantir a proteção do QB. Em 2019, foram mais de 400 snaps e nenhum sack permitido, enquanto em 2020, ele permitiu apenas um sack em oito jogos. 

28. New Orleans Saints – Trevon Moehrig, S, TCU

Trevon Moehrig é um safety muito eficiente que conseguiu seis interceptações nas últimas duas temporadas por TCU. O jogador tem o tamanho ideal (1,88 e 92 quilos), com a velocidade e a explosividade necessárias na NFL. Os Saints terão muitos problemas na Free Agency, e só na secundária poderá perder quatro corners e três safeties. Moehrig é uma reposição necessária.

29.  Green Bay Packers – Rashon Bateman, WR, Minnesota

Os Packers precisam mostrar mais comprometimento com Aaron Rodgers. Se eles não conseguirem um WR na Free Agency, a escolha de primeira rodada precisa ser um recebedor. Bateman tem o físico de um WR número um (1,88 e 92 quilos). Ele é muito eficiente atacando o meio do campo e tão perigoso quanto em jogadas pelas laterais. Apesar de não ser explosivo, Bateman apresenta excelentes mãos e um trabalho de pés diferenciado – o tipo de WR que cai bem em Green Bay. Em sua carreira por Minnesota foram 147 recepções, 2.395 jardas e 19 TDs. 

30. Buffalo Bills – Najee Harris, RB, Alabama

O Buffalo Bills precisa de ajuda no jogo terrestre. As duas prioridades no ataque são jogadores do miolo da linha ofensiva e um running back. Sem um gigantesco talento de linha sobrando, os Bills não podem perder a oportunidade de draftar Najee Harris. O atleta dominou em 2020 por Alabama, usando sua aceleração e força para conseguir jardas preciosas e muitos TDs (26). Foram 1466 jardas terrestres e uma média de 5,8 por carregada. O atleta ainda se provou versátil no jogo aéreo, com 43 recepções para 425 jardas.

31. Kansas City Chiefs – Carlos Bashman Jr., EDGE, Wake Forest

Quem acompanhou o Super Bowl viu o Kansas City Chiefs ser incapaz de pressionar Tom Brady, o que fez com que o veterano tivesse uma vida fácil e liderasse Tampa Bay a 31 pontos. Carlos Bashman Jr. é um talento raro na posição, com um motor incansável, uma velocidade tremenda e uma combinação de tamanho assustadora (1,96m e 129 quilos). Apesar de parecer um pouco duro quando se alinha como edge, Bashman tem o talento para aprender mais movimentos, que alinhado ao seu físico pode torná-lo em um jogador difícil de conter. Em 2020, foram sete jogos, onde ele registrou 5 sacks e 5,5 tackles para perda de jardas.

32. Tampa Bay Buccaneers – Joe Tryon, DE, Washington

Tampa Bay venceu o Super Bowl e terá muitos problemas na offseason, entre eles decidir sobre a renovação de Lavonte David (LB), Jason Pierre-Paul (DE), Shaquil Barrett (DE) e Chris Goodwin (WR). Os Bucs venceram com a capacidade de pressionar o quarterback adversário e escolher um Edge facilitaria o presente e o futuro da franquia. Joe Tryon optou por não jogar em 2020, mas em 2019 mostrou ser capaz de chegar ao QB de diferentes maneiras. Tryon é uma opção barata de reposição aos veteranos, que manterá o nível de pressão no QB adversário e se aproveitará do ótimo sistema implementado por Todd Bowles. 

Autor: Bruno Nossig

Sou aluno da ECA-USP, graduando em jornalismo. Joguei basquete quando menino e agora escrevo neste site. Meu twitter é @brunonossig.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s