Conheça Chase Young, o melhor prospecto do Draft da NFL deste ano

Defensive end de Ohio State dominou seus adversários na última temporada e deve assombrar quarterbacks da Liga

Chase Young - Arte
De Ohio State, Young é o jogador mais valioso do Draft de 2020 (Arte: André Martins)

Caso nada de excepcional ocorra, o Draft da NFL deste ano deve ter algumas semelhanças com o do ano passado. A primeira é que um quarterback vencedor do troféu Heisman deve ser a primeira escolha: Joe Burrow. A segunda é que o verdadeiro melhor jogador do Draft sairá na segunda escolha e é um Defensive End de Ohio State. Seu nome é Chase Young.

Ele definitivamente não tem a fama de Burrow, mas sabia que ele também já foi quarterback? O Intervalo em 5 traz a análise completa do jogador e a história de Chase Young.

O prospecto

O que Young fez em suas três temporadas no Ohio State Buckeyes será lembrado por muito tempo, principalmente pelo rendimento em seu último ano. Afinal, sua temporada de freshman não foi nada espetacular: era um jogador rotacional e teve apenas 3.5 sacks e um fumble forçado. Mas a evolução do jogador com o passar dos anos foi fantástica.

Aproveitando o espaço no elenco gerado por lesões, principalmente de Nick Bosa, Young foi titular em seu segundo ano, totalizando 10.5 sacks e 14.5 tackles para perda de jardas. Isso tudo batalhando com lesões no tornozelo. 

Em 2019, veio a performance que agora o leva a ser considerado como um talento geracional. Foram 16.5 sacks, quebrando o recorde de uma mesma temporada de Ohio State, além de 46 tackles, 21 para perda de jardas e sete fumbles forçados. Ainda deu tempo inclusive de bloquear um field goal. Tudo isso tendo perdido dois jogos da temporada após ser suspenso. O motivo? Um empréstimo para conseguir levar sua namorada para assistir ao Rose Bowl.

No final, os Buckeyes caíram nas semifinais do college para Clemson após uma derrota por 29 a 23. Se coletivamente o título não veio, individualmente Young ganhou diversos prêmios, entre eles o Bronko Nagurski Trophy e o Chuck Bednarik Award, ambos destinados ao melhor jogador defensivo da temporada. O defensive end ainda terminou em quarto na corrida pelo troféu Heisman e encerrou sua carreira em Ohio State com 30.5 sacks, segunda melhor marca da Universidade atrás apenas de Mike Vrabel, atual técnico do Tennessee Titans.

Agora, Young chega ao Draft como um dos melhores prospectos da posição em muito tempo. Seu leque de opções para atacar a linha ofensiva varia desde sua velocidade até sua incrível técnica com as mãos, que lhe permite se desvencilhar facilmente de seu oponente. Força e explosão também não faltam, criando uma combinação técnica e física que o colocam à frente de talentos recentes como Nick Bosa e Josh Allen.

A pessoa

Chase Young nasceu em Upper Marlboro, uma pequena cidade localizada em Maryland. Começou a jogar futebol americano quando criança, mas em uma posição muito diferente da qual estamos acostumados a vê-lo atuar: quarterback. Chegando no final da nona série, tinha apenas 1,67m. Uma surpresa e decepção para o jovem atleta, já que seu pai tem 2,08m e sua mãe 1,82m. 

Seu pai, Greg Young, afirma que o filho lhe perguntava constantemente quando iria crescer. Greg pediu para que tivesse paciência e aconteceu, quando já estava no High School, na escola de St. Vincent Palotti. Lá, ele também demonstrava talento fora dos gramados, participando do coral e tocando saxofone, violino e piano. 

Com o desenvolvimento na altura e peso, veio também o crescimento de produção e a mudança de posição para a linha defensiva. No ano seguinte, veio a transferência para o colégio de DeMatha, um dos principais programas locais. A partir daí, o Predator, apelido que ganhou por conta de suas habilidades e pelas tranças douradas, passou a ser cada vez mais conhecido até ser recrutado pessoalmente por Larry Johnson, técnico de linha defensiva de Ohio State.

Uma boa explicação para a evolução e o empenho de Young pode estar dentro de casa. Seus pais estabeleceram um grande conjunto de regras: nada de televisão no quarto, celular só no ensino médio, tatuagens só na faculdade e o atleta é responsável por lavar e passar suas roupas desde os sete anos de idade.

A forma de educar o filho pode estar relacionada com o trabalho de Greg, policial aposentado. Além do pai, Chase ainda tem dois tios que trabalham no sistema de segurança. O jovem jogador já deu declarações, aliás, afirmando seu interesse e admiração no trabalho e abrindo a possibilidade futura de seguir o mesmo caminho de seus parentes. 

O fato é que Chase Young parece ter um caminho predestinado. Forçando um pouco, podemos traduzir seu nome para “jovem perseguidor”, apelido muito condizente para sua posição e que também remete à profissão de seu pai. 

Além disso, há grandes chances do jogador voltar ao seu estado natal, em Maryland, defendendo o Washington Redskins. O bom filho deverá retornar a sua casa, agora perseguindo quarterbacks na NFL.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s