1º Mock Draft de 2020 da NFL – Uma análise adiantada das primeiras escolhas

Bengals ficam com Joe Burrow, Washington termina com o melhor jogador do Draft, Tua Tagovailoa vai parar em Miami e ninguém escolhe RB

(Arte: André Martins. Foto: Getty Images)

Após o Kansas City Chiefs bater o San Francisco 49ers por 31 a 20 no Super Bowl LIV, as franquias da NFL já começam a se planejar para a intertemporada e, obviamente, para o Draft. Com isso, o Intervalo em 5 fez o seu primeiro Mock Draft de 2020. 

O Draft de 2020 será marcado por muito talento saindo nas primeiras 10 escolhas, assim como muita profundidade nas posições de wide receiver e cornerback, além de peças defensivas capazes de entrar na liga e causar estrago imediato. Confira:

1. Cincinnati Bengals – Joe Burrow, QB, LSU

(Arte: André Martins. Foto: Morgan Werther)

Os Bengals precisam escolher o seu franchise quarterback e ele será Joe Burrow. O quarterback de LSU teve um ano incrível, quebrando o recorde universitário com 60 passes para TD e conquistando 5,617 jardas aéreas. Apesar de não ter o braço mais forte, Burrow coloca a bola onde quer e com uma precisão absurda, evidenciada pelo aproveitamento de 76,5% dos seus passes.

O vencedor do Heisman de 2019 tem muitas qualidades que devem transitar para a NFL. A calma dentro do pocket, a capacidade de estender jogadas com a perna (foram 115 corridas para 368 jardas e 5 TDs) e a mentalidade vencedora só facilitam a escolha dos Bengals, que precisam urgentemente de um jogador capaz de mudar a realidade da franquia.  

2. Washington Redskins – Chase Young, EDGE, Ohio State

Chase Young entra o Draft como o melhor jogador e como um dos melhores prospectos da posição nos últimos anos. Os irmãos Joey e Nick Bosa chocaram Ohio State e tiveram sucesso imediato na NFL. E Young foi um jogador universitário muito melhor do que os dois. 

A temporada de 2019 para Chase Young foi magistral. O EDGE quebrou o recorde de Ohio State, com 16,5 sacks registrados, mostrando inúmeros movimentos e maneiras de pressionar o QB adversário. O jogador de 20 anos é um desastre para as linhas ofensivas, já que possui uma explosão impressionante, saltando sobre a linha antes que o adversário consiga antecipar os seus movimentos. 

3. Detroit Lions – Jeff Okudah, CB, Ohio State

Os Lions precisam urgentemente de uma ajuda na secundária e devem sanar o problema com a terceira escolha geral. Jeff Okudah é o melhor cornerback da classe, com o potencial de se tornar um futuro Pro Bowler. Em 2019, por Ohio State, ele permitiu um passer rating de apenas 45,1 – uma marca significativa e impressionante.  Dos 610 snaps que o cornerback jogou, ele sofreu apenas um TD em toda temporada, sendo que os adversários conseguiram apenas 3,1 jardas por passe tentado em sua direção, 3,5 abaixo da média universitária. Em seu tempo de College, Okudah foi igualmente dominante a Jalen Ramsey em Florida State.

4. New York Giants – Isaiah Simmons, LB, Clemson

Clemson Isaiah Simmons
Isaiah Simmons é o jogador mais versátil do Draft e um dos principais prospectos na defesa (Foto: Getty Images)

Os Giants precisam de ajuda em todos os lugares da defesa: secundária e front seven. Isso torna Isaiah Simmons a escolha perfeita. O jogador é um canivete suíço, capaz de se alinhar em qualquer posição do campo. 

Por Clemson, ele foi utilizado como linebacker, safety, edge rusher, cornerback e nickelback e teve um desempenho impressionante em todas as posições. Ao todo, foram 102 tackles, sendo 16,5 para perda de jardas e oito sacks. A franquia de Nova York precisa de um jogador com esse impacto na defesa.  

5. Miami Dolphins – Tua Tagovailoa, QB, Alabama

(Arte: André Martins. Foto: Todd Kirkland/Getty Images)

Os Dolphins precisam encontrar o seu quarterback para o futuro, e nada melhor do que draftar um jogador que se tornou uma lenda universitária. Tua Tagovailoa fez história em Alabama, batendo o recorde de TDs aéreos da universidade (86) e registrando o maior passer rating da história (206,9). O quarterback canhoto possui um aproveitamento absurdo, colocando a espiral perfeita e alinhando a bola para onde o seu wide receiver estará. Tua é um analista em quadra, conseguindo ler a defesa com uma facilidade e mentalizando o alvo logo antes do snap – qualidade que será transmitida para a NFL. 

Saúdavel, Tua Tagovailoa é o melhor QB do Draft. O problema é a frase “quando saúdavel”. Nos dois anos como titular de Alabama, o quarterback não conseguiu jogar todas as partidas, e atualmente se recupera de uma lesão grave no quadril. O Combine será essencial para o jogador:se provar que se recuperou do problema no quadril, Tua pode até subir no Draft.

6. Los Angeles Chargers –  Jedrick Willis Jr., Alabama

A linha ofensiva dos Chargers precisa de um upgrade. Jedrick Willis Jr é fisicamente  o Tackle mais impressionante da classe – que está recheada de offensive tackles monstruosos. Nos 13 jogos de 2019, Willis participou de 714 snaps, permitindo 3,5 pressões e apenas um sack. Ele ainda liderou todos os tackles no ano passado com 12 big time blocks. Alguns questionam sua velocidade lateral, que pode se tornar um problema no nível profissional, mas o talento está lá e ele deve ser o primeiro tackle selecionado na classe. 

Jedrick Willis
Jedrick Willis Jr. em ação por Alabama (Foto: Alabama Athletics)

7. Carolina Panthers – Derrick Brown, DL, Auburn

Nos jogos de Auburn, era comum ver Brown simplesmente levantando jogadores da linha ofensiva e os devorando da maneira que ele bem entendia. Toda a temporada lhe rendeu uma nota de 90,4 do Pro Football Focus (PFF). O fato de não ter errado um tackle durante o ano (terminou com 55 e 12,5 para perda de jardas) e ser uma força como um pass rusher (foram 4 sacks em 2019), tornam o defensive tackle de 147 quilos um encaixe perfeito para os Panthers, que precisam urgentemente de peças defensivas no elenco.

8. Arizona Cardinals – Andrew Thomas, OT, Georgia

Os Cardinals podiam escolher um WR aqui, e CeeDee Lamb, antigo companheiro de Kyler Murray em Oklahoma, faria sentido. Mas Arizona precisa de ajuda imediata nas trincheiras e Andrew Thomas fará exatamente isso. Durante sua carreira, Thomas foi utilizado tanto do lado esquerdo como no direito, permitindo apenas 37 pressões no quarterback em 3 anos. O mais interessante é que Thomas evoluiu a cada ano e em 2019 permitiu apenas 9 pressões e um sack.

9. Jacksonville Jaguars – Javon Kinlaw, DL, South Carolina

Defensive Tackle não é uma urgência em Jacksonville, mas com o potencial de Kinlaw é muito difícil deixar ele passar. O jogador de 1,98 metros e 141 quilos deve dar show no Combine. Em South Carolina, ele mostrou plena capacidade de pressionar o quarterback, destruindo a linha ofensiva e terminando com 10,5 sacks em dois anos. Apesar de perder noção de onde a bola está em alguns momentos, Kinlaw é extremamente efetivo, e terminou com 35 tackles ano passado, sendo seis para perdas de jardas. 

10. Cleveland Browns – Tristan Wirfs, OT, Iowa

Os Browns precisam urgentemente melhorar a linha ofensiva, desastrosa em 2019. Wirfs é um prospecto muito interessante, principalmente na proteção de passe. Nos 1,138 snaps jogados por Iowa, o tackle permitiu apenas 40 pressões – sendo que nos últimos sete jogos da carreira, foi apenas uma pressão. Ele não é tão constante quanto os outros tackles da classe, errando bloqueios de corrida no segundo nível da defesa. Mas a facilidade com que se movimenta lateralmente, sua força e poderio atlético podem fazer com que ele suba no Draft.

11. New York Jets – CeeDee Lamb, WR, Oklahoma

Os Jets têm muitos problemas: Edge, cornerback e linha ofensiva. Mas uma prioridade é dar mais alvos para Sam Darnold e CeeDee Lamb é o melhor presente possível na 11ª escolha.  As 62 recepções geraram 1,327 jardas – uma média de 21,4 jardas por recepção. O ano dele em Oklahoma foi incrível, principalmente por conta de sua aceleração no snap, facilidade de escapar da marcação e de causar estrago após a recepção.

12. Las Vegas Raiders – Jerry Jeudy, WR, Alabama

Os agora Las Vegas Raiders precisam de ajuda imediata no corpo de recebedores e Jerry Jeudy será um terror para as secundárias adversárias. A precisão nas rotas é uma marca do recebedor, que se separa da marcação e troca de direção com rapidez e facilidade, causando estrago após a recepção. Jeudy sofreu com alguns drops durante a carreira universitária, mas também mostrou mãos impressionantes, fazendo algumas recepções extremamente difíceis. Em 2019, por Alabama, foram 1,163 jardas e 77 recepções. 

13. Indianapolis Colts – A.J. Epenesa, EDGE, Iowa

A posição não é a maior urgência para os Colts, mas é difícil deixar o segundo melhor EDGE da classe passar. O jogador de 1,97 metros e 127 quilos costuma forçar o erro da linha defensiva com sua força, já que não é o atleta mais rápido . A palavra para descrever a passagem de Epenesa em Iowa é constância. Em 2019, ele registrou 11,5 sacks, depois de ter feito 10,5 em 2018. Durante sua carreira no college, o jogador foi devastador para as linhas ofensivas, sendo efetivo como pass rusher e contra o jogo terrestre. 

14. Tampa Bay Buccaneers – Justin Herbert, QB, Oregon

(Arte: André Martins. Foto: Icon Sportswire / Getty Images)

Os Bucs precisam achar uma alternativa para Jameis Winston, já que não dá para continuar com o veterano que liderou a NFL com 30 interceptações em 2019. A franquia não pode desperdiçar a oportunidade de selecionar Justin Herbert, que passou para 3,471 jardas, 32 TDs e 6 interceptações.

A passagem de Herbert em Oregon levantou pontos positivos e também dúvidas sobre o jogador. O quarterback de 1,98 é um sonho de qualquer analista, com uma velocidade absurda para seu tamanho e o melhor braço da classe. Mas, em Oregon, vimos o lado negativo do atleta, que cometeu muitos passes errados, interceptações e teve dificuldade em ler as principais defesas do College Football – tendo atuações fracas contra os melhores adversários. Mas o potencial do atleta é muito alto para deixá-lo passar da 14ª escolha.

15. Denver Broncos – Mekhi Becton, OT, Louisville

Assim como Derrick Henry, RB dos Titans, Becton parece um jogador inventando no videogame. O tackle é maior do que todos de sua posição – com 2,01 metros e 167 quilos – e, com uma envergadura maior do que 2,10 metros, o jogador se apoia no seu poder físico para impedir que o adversário chegue no quarterback.Em Louisville, não permitiu nenhum sack em 11 jogos. Apesar do potencial, Becton ainda é muito cru e precisa refinar suas técnicas de proteção para ter sucesso na NFL, já que se apoiar na suas qualidades físicas não será o suficiente.

16. Atlanta Falcons – Curtis Weaver, EDGE, Boise State

Atalanta não vai renovar com Vic Beasley, tornando a posição que já era uma prioridade em uma necessidade gigantesca. Curtis Weaver ainda está um pouco cru, mas a sua produtividade em Boise State o torna uma escolha confiável. De acordo com o PFF, ele terminou dois anos seguidos com uma nota maior do que 90 – sendo o primeiro a atingir essa marca em seis anos. Em 2019, foram 13,5 sacks, um fumble forçado e uma interceptação.

17. Dallas Cowboys – Grant Delpit, S, LSU

Apesar de alguns erros durante a temporada, Grant Delpit ainda é o melhor safety da classe (Foto: Josh Auzenne/WAFB-TV)

Depois de flertar com uma troca para contar com Minkah Fitzpatrick, Dallas precisa usar o Draft para sanar os problemas da secundária e draftar um safety. Delpit é muito eficiente na cobertura, sendo explosivo quando se torna um pass rusher ou ao lotar o box para impedir corridas. Ele errou muitos tackles em 2019, mas não cometeu o mesmo erro nos últimos três jogos da temporada, uma evolução extremamente animadora.

18. Miami Dolphins via Steelers – Josh Jones, OT, Houston

Depois de draftar o seu QB para o futuro, os Dolphins precisam garantir a proteção dele. Josh Jones é uma espécie rara na posição, com 2 metros e 140 quilos, tendo potencial para se tornar um titular confiável na NFL. Apesar de ser atlético e de se mover muito bem no campo, ele ainda é cru e não deve começar jogando logo de cara.

19. Las Vegas Raiders – Kristian Fulton, CB, LSU

De acordo com o PFF, Kristian Fulton foi o cornerback melhor ranqueado da divisão mais difícil do College (SEC) por dois anos seguidos. Ele não tem as melhores características físicas, sendo baixo para a posição, mas a sua eficiência na cobertura deve ser transmitida para a NFL. O cornerback quebrou 14 passes (8º maior no College Football), tendo uma interceptação e 31 tackles em 2019. Os Raiders precisam de ajuda imediata na secundária e Fulton seria exatamente isso. 

20. Jacksonville Jaguars via Rams – Henry Ruggs, WR, Alabama

Ruggs possui uma velocidade impressionante e deve ser o mais rápido no tiro de 40 jardas do Combine. O jogador tem a capacidade de produzir grandes jogadas, aproveitando sua explosão e agilidade para desviar da marcação e produzir jardas depois da recepção. O wide receiver é um verdadeiro criador de TDs – durante a sua carreira em Alabama, foram 98 recepções e 24 touchdowns.

21. Philadelphia Eagles – Tee Higgins, WR, Clemson

Depois de um ano de lesões no corpo de recebedores e sofrendo com um 2019 decepcionante de Nelson Agholor e Alshon Jeffery, os Eagles precisam ajudar Carson Wentz. Tee Higgins é um alvo perfeito na End Zone, usando o seu 1,98 metros para produzir TDs – foram 13 no ano passado. O jogador tem uma mão extremamente confiável, sofrendo apenas 6 drops em 120 recepções por Clemson. Apesar disso, Higgins não corre as rotas mais precisas e não é extremamente veloz, tendo dificuldade para se separar do marcador.

22. Buffalo Bills – Jalen Reagor, WR, TCU

Jalen Reagor teve um ano impressionante em 2018, com 72 recepções, 9 TDs e 1,061 jardas. Mas foram apenas 611 jardas, 43 recepções e cinco touchdowns em 2019. Os modestos números não foram sua culpa, já que TCU teve apenas 2,444 jardas aéreas, sendo que Reagor foi responsável por 25% das jardas totais e 33% dos TDs. O jogador é explosivo, produzindo muito após a recepção e sendo eficiente nas rotas mais longas. Mesmo sofrendo com alguns drops, o jogador poderia se tornar o alvo preferido de Josh Allen. 

23. New England Patriots – Xavier Mckinney, S, Alabama

Os Patriots não possuem muita necessidade no Draft e, dependendo da decisão de Tom Brady, a 23ª escolha pode se tornar um quarterback. Caso o seis vezes campeão do Super Bowl continue em New England, o time poderia aproveitar e reforçar sua defesa  com a presença de Xavier Mckinney. O safety é capaz de ser utilizado no fundo, em cobertura com um safety ou dois. Também consegue usar o seu físico na cobertura do slot, e sua explosividade se torna um fator quando pressiona o QB adversário.

24. New Orleans Saints – Trevon Diggs, CB, Alabama

Os Saints precisam de ajuda no corpo de recebedores, mas na primeira rodada é muito viável que a franquia busque melhorar a sua secundária. Trevon Diggs é exatamente o que se procura para a posição. Com 1,88 metros, ele tem a altura perfeita para cobrir na NFL e mostrou uma mistura de velocidade e poder atlético que deve traduzir para o nível profissional. Apesar disso, ele ainda não é muito refinado em algumas coberturas e falhou na tentativa de marcar o jogo terrestre no College.

25. Minnesota Vikings – C.J Henderson, CB, Florida

Xavier Rhodes teve um ano extremamente inconstante em 2019 e os Vikings precisam de ajuda imediata na posição de cornerback. Henderson foi perfeito em 2018, permitindo apenas 18 passes na temporada. Apesar disso, ele não evoluiu em 2019, falhando em diversos momentos e errando alguns tackles importantes. Ainda assim, é difícil não se apaixonar pelo jogador extremamente atlético que teve uma carreira impressionante na Florida, com 6 interceptações e 20 passes desviados. 

26. Miami Dolphins via Texans – K’Lavon Chaisson, EDGE, LSU

A outra grande necessidade dos Dolphins é o Pass Rush, e Chaisson seria uma adição extremamente interessante. Os atributos físicos do jogador estão ali: é um monstro atlético, extremamente veloz e que evoluiu ao longo da temporada. Apesar de ser um candidato para estourar no Combine, Chaisson ainda é muito cru como pass rusher e teve marcas pouco expressivas no College, com apenas 9,5 sacks na carreira em LSU.  

27. Seattle Seahawks – Jaylen Johnson, CB, Utah

Johnson teve um ano incrível por Utah, permitindo apenas 23 recepções em 52 passes lançados em sua direção. Apesar de eficiente, o jogador ainda é um pouco cru, tendo que melhorar a sua técnica e ler melhor o adversário, ao invés de “apostar” no que o WR vai fazer. Jaylen não é um atleta preparado para jogar de imediato na NFL, mas seria uma ajuda extremamente importante para a debilitada secundária dos Seahawks.

28. Baltimore Ravens – Julian Okwara, EDGE, Notre Dame

Os Ravens tem duas grandes necessidades: Edge e WR. Mas em uma classe profunda de recebedores, é provável que eles prefiram escolher um pass rusher com a 28ª escolha geral. Okwara não é o protótipo comum para a posição (com 1,93 e 112 quilos), sendo que usa de sua explosão e velocidade para chegar ao quarterback, ao invés da força bruta e outros movimentos. O jogador foi extremamente inconstante em 2019, registrando apenas quatro sacks por Notre Dame, mas ainda terminou com uma nota acima de 90 de acordo com o PFF. 

29. Tennessee Titans – Yetur-Gross Matos, EDGE, Penn State

Yetur-Gross Matos teve uma carreira extremamente eficiente em Penn State, registrando mais de oito sacks e 33,5 tackles nos últimos dois anos. Matos é outro que pode se tornar uma estrela no Combine, tendo uma aceleração impressionante e sendo capaz de atacar a linha ofensiva com energia e força para causar impacto. Apesar do seu grande potencial, o jogador ainda é muito cru e responde por um processo de assédio aos jogadores mais jovens da universidade de Penn State.   

30. Green Bay Packers – Laviska Shenault Jr., WR, Colorado

Os Packers precisam urgentemente de um alvo a mais para Aaron Rodgers não depender apenas de Davante Adams. Laviska Shenault Jr. possui uma mistura impressionante de tamanho, velocidade e poderio atlético, sendo capaz de executar qualquer rota no campo. Apesar de sofrer com drops e queda de produção em 2019,  o jogador teve a temporada dos sonhos em 2018, com 1,011 jardas, 86 recepções e seis touchdowns.

31. San Francisco 49ers –  Ashtyn Davis, S, California

A defesa dos 49ers foi quase perfeita em 2019, mas ela poderia dar um upgrade na secundária. Ashtyn Davis não é um dos atletas nos grandes radares por ter jogado em Califórnia, mas é um prospecto extremamente interessante. O jogador consegue executar a função de slot e de safety, registrando números impressionantes em 2019 – 2 fumbles forçados, duas interceptações e 32 tackles. 

32. Kansas City Chiefs – Jordan Elliott, DL, Missouri

Os campeões da NFL não precisam de nenhuma posição de forma urgente, podendo usar a escolha 32 para melhorar o ataque, escolhendo um running back, ou optando por melhorar a defesa. Jordan Elliott foi o Defensive Tackle mais bem ranqueado de acordo com o PFF, ficando a frente de Derrick Brown e Javon Kinlaw. Em 2019, foram 31 tackles e 2,5 sacks.

 

Autor: Bruno Nossig

Sou aluno da ECA-USP, graduando em jornalismo. Joguei basquete quando menino e agora escrevo neste site. Meu twitter é @brunonossig.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s