Quique Setién e a aposta do Barcelona no passado

Treinador chega ao clube catalão sem grandes resultados, mas com uma filosofia de jogo que o clube tinha antes de Valverde

Arte: André Dezão. (Imagem: Getty Images)

O Barcelona perdeu a paciência com Ernesto Valverde. Apesar de bons resultados, o técnico ficou marcado por derrotas como o 4 a 0 para o Liverpool e o 3 a 0 para a Roma, resultados que eliminaram a equipe da Champions. Em poucas horas, o clube catalão já anunciou seu substituto: Quique Setién, ex-treinador de Bétis e Las Palmas. 

A principal crítica a Valverde, além dos vexames em jogos importantes, era ao estilo de jogo implementado, que não agradava torcida e diretores. Quando chegou ao clube, vinha com a promessa de manter o estilo de jogo do clube e aproveitar a base, mas não foi isso que aconteceu. A equipe ficou muito dependente do brilhantismo de Lionel Messi, e grandes contratações feitas pelo Barça, como Dembelé, Coutinho e Griezmann, não deram certo.

A escolha por Setién foi muito baseada justamente na filosofia de jogo que este desenvolveu nos últimos clubes por onde passou, principalmente no Bétis e no Las Palmas. O treinador já falou abertamente sobre sua admiração pelo futebol da época de Cruyff, e seus times tentam recriar isso, com uma identidade de jogo marcante e que pouco varia, independentemente do adversário a ser enfrentado.

Setién sempre busca que seu time mantenha a posse e saia jogando de trás, e para isso o goleiro tem que jogar ativamente. No Bétis, Adán passou a trabalhar com os pés, sempre recebendo ajuda dos zagueiros e do primeiro volante – que, no caso do Bétis, era Javi Garcia. 

O primeiro volante também é o responsável pela armação inicial do time, função que no Barça deve ser feita por Sergio Busquets. Os dois já haviam demonstrado publicamente seu apreço em 2018, quando Setién pediu a camiseta de Busquets antes de um duelo contra o Bétis. A partida inclusive terminou com uma surpreendente vitória por 4 a 3 para os comandados de Quique, em pleno Camp Nou. 

Outras características das equipes do novo técnico do Barcelona são o apoio constante dos laterais, o que pode potencializar a qualidade de Jordi Alba, e uma marcação pressão com linha alta. A ideia é valorizar a posse de bola, com paciência para ser incisivo e aproveitar os espaços deixados pelos adversários. Resta saber se a dupla titular de zaga vai conseguir se adequar ao novo esquema e evitar contra-ataques rápidos e lançamentos nas costas. 

A parte defensiva e a inconstância sempre foram os principais problemas dos times de Setién, e o estilo de jogo mais a falta de resultados expressivos (Setién tem mais derrotas do que vitórias como técnico) nos fazem lembrar de um treinador brasileiro: Fernando Diniz. 

Assim como o São Paulo, o Barcelona aposta em uma filosofia de jogo, e deixa de lado a falta de experiência em clubes grandes e títulos. A diferença é que o torcedor são-paulino quer conquistas, enquanto a torcida blaugrana quer recuperar o futebol que encanta.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s